Compartilhar:

Uma dúvida que tem gerado questionamentos e, por isso, foi objeto de esclarecimentos pelo Sitrans de Campina Grande através do gerente operacional do Consórcio Santa Verônica, José Rinaldo Costa, é quanto ao uso da porta do meio dos ônibus, que não pode ser aberta pelos motoristas de maneira usual, em todas as paradas.

É comum que passageiros peçam ao motorista que a porta do meio seja aberta, sobretudo em horários de maior movimento. Mas, segundo Rinaldo, exceto em situações excepcionais, essas portas só devem ser utilizadas para sua função própria, que é garantir o acesso para embarque e desembarque de passageiros com redução severa de mobilidade que impeça ou dificulte o uso das portas convencionais.

“É o caso, principalmente, do acesso dos cadeirantes, inclusive porque é na porta do meio que está instalado o elevador, um equipamento fundamental para garantir a acessibilidade nos ônibus. O uso corriqueiro e permanente dessa porta provoca sobrecarga no elevador, pondo em risco sua funcionalidade”, explicou.

SEGURANÇA

Além disso, Rinaldo esclareceu que há motivos ligados à própria segurança dos passageiros que também não recomendam o uso continuado destas portas. “Primeiro, o risco maior de acidentes, inclusive por não haver a catraca que organiza o embarque ou desembarque. Além disso, compromete o controle do acesso ao ônibus”, frisou o gerente do consórcio.

José Rinaldo pediu a compreensão dos clientes do transporte coletivo em relação às restrições de uso da porta do meio, ratificando que o motorista, ao não abri-la de modo corriqueiro, está seguindo determinações e orientações que, pelos motivos explicados, buscam garantir a melhor acessibilidade e segurança aos passageiros dos ônibus.

Da redação com ascom

Comentários


Os comentários aqui realizados não expressam a opinião do editor. Representam, tão somente, o exercício constitucional da liberdade de expressão sendo vedado o anonimato.